31.10.10

Chile 3



Preciso de mais férias. Isto foi sempre a correr. Fui a Valparaiso e Santiago, dois dias em Montevideo e agora estou em Buenos Aires, a dançar o tango, manifestar-me contra tudo (sempre com a camisola do Che, o assassino amado por todos) e re-re-re-ler a Mafalda. Tenho avião para casa no dia 2.

Ainda acredito que quando chegar a Portugal encontro um papel na porta com o aviso: Encerrados para balanço, por favor volte mais tarde. E eu, volto mais tarde.

24.10.10

Chile 2


Finalmente, passadas quase duas semanas desde que saí do brasil, acabaram os pesadelos. Estava dificil. Sonhava, todos os dias, com a Dilma em cuecas a bambolear-se à minha frente e depois, claro, acordava aos gritos e assustava o pessoal do quarto. Então, explicava-lhes o porquê do meu terror e não dormia o resto da noite com os gritos deles. Acabou, aleluia.

Não fui a tempo de ver os mineiros. Quando cheguei a Copiapó já estavam enfiados no hospital, sítio onde, por principio, só entro em coma alcoolico. Por azar correu tudo bem no resgate e não dá para fazer piadas foleiras sobre a situação. Bastava um deles ter ficado estropiadinho, coitadinho, e já enchia aqui umas belas páginas com disparates. Assim, nada. A única coisa que se aproveitou desta historia toda foi ter conseguido publicar, no negócios, uma fotografia com mulheres nuas. O mundo ainda não está perdido, há esperança. A reportagem saiu na sexta. Ainda lá, fui a uma peluqueria e pedi para me fazerem um bigode à mineiro, que ficou uma treta mas fez-me sentir melhor recebido pela comunidade.

A seguir fui para São Pedro de Atacama. Um conselho: a menos que tenham, por obrigação, de ver coisas extraordinariamente bonitas, não vão lá. Se por algum azar tiverem mesmo de ir, levem o carro. Não é perto, eu sei, mas arranjem-se. Caso contrário acontece-vos o que me aconteceu, sao obrigados a fazer tours e ouvir repetidamente, ao ponto de apetecer bolsar, as palavras Amazing, Magic, Life changing e Mistical. Um horror, tantos americanos e australianos juntos. É um grau de lamechice insuportavel. O meu único consolo foi ve-los sofrer ao sol. A 4000 metros, nos Andes, o sol não queima, frita. Há tambem uns estupidos que alugam pranchas de snowboard, para as dunas, e bicicletas, para andar, mas isso não é vida, é sofrimento. Carro.

E continuo nos conselhos de viagem, como um gonçalo cadilhe dos pobres, menos chato e menos moralista, e vou explicar como escolher o tour. Fui a 4 em 3 dias. Então, na fatalidade de terem de comprar um tour no Atacama, preocupem-se só com uma coisa: escolher um com velhos. É importante, velhos. Gordos e de bengala, se conseguirem. Mas cuidado com os brasileiros velhos, massacram-nos à exaustão com a vida dos avós que eram portugueses de Celorico de Basto e Vieira de Leiria. Nos tours com velhos o autocarro pára sempre no cimo da ladeira, as caminhadas são sossegadas, com tempo para dormir enquando se espera pelos últimos, bebem vinho à refeição, nada de coca-colas, e contam historias bem mais interessantes do que gajos da minha idade vestidos com gore-tex dos pés à cabeça. E não vale a pena tentar encontrar um guia que não use boné e rabo-de-cavalo. Não há.

Depois de São Pedro fui para Iquique, mais a norte. Não é a cidade mais bonita do mundo e está cheia de surfistas, travestis, bêbados e outros vagabundos. Agora estou, de novo, em Santiago e amanha vou para Valparaiso, na costa. Daqui a uns dias... Uruguai.

Conselho final. Se, por acaso, estiverem no Chile com uma ressaca enorme, algo que não me volta a acontecer porque deixei muito recentemente de beber, para todo o sempre, comam uma Barros Luco, que parece uma bifana com queijo, e bebam Sprite. Por uns momentos estão no céu, sem preocupações, sem pensar nas criancinhas a sofrer e nos aleijados sem emprego. É a salvação. Só informações úteis...

Vou dormir, tive uma noite complicada e isto nao esta fácil. É costume brincar-se com as frases de engate dos pedreiros, mas a que ontem me disseram, vinda do lado contrário dos andaimes, também tem alguma piada. - Hola guapo, qué és mucho parecido com el Estivem Espilberg. Como é obvio, primeiro, pensei que ela estava no gozo mas veio a confirmar-se que era mesmo engatacion. Era feia. Vou começar a usar - Ó jeitosa, és igual à Judi Dench! Guapa!

E hoje vi uma exposição do Martin Parr :)))))))))))))
Vão para dentro. Beijos
Estivem

Chile - Atacama

Get the flash player here: http://www.adobe.com/flashplayer


fotografias bonitas de são pedro de atacama (iphone)

17.10.10

brasil - chile (fotos)

Get the flash player here: http://www.adobe.com/flashplayer


do iphone…
estou em são pedro de atacama. não está a chover

13.10.10

Chile 1


Oi. Sou eu, o irmão Castro, o do meio, aquele mais baixo. Estou a brincar, nao sou, mas ate podia ser assim quisesse o destino... Sou o Fernando Mamede.

Infelizmente os meus dias aqui estao mais mortos que os meus cães então, para encher o blogue, decidi escrever umas bóbágens, como a que acabaram de ler. Estou ainda a pensar, algo que faço menos vezes do que dou a entender, se negretizo (decidi inventar palavras só por que me dão jeito) as partes serias, como forma de poupar algum tempo, que nao deve ser precioso, a você, maravilhosa pessoa. Sempre a pontuar... O ideal seria a PIDE pegar nisto e limpar as tolices a quem assim o desejar. Mas foi-se. É pena.

Repararam que usei oi, você e bóbágem? Nao foi por acaso, ate porque oi dá algum trabalho a escrever e nao o faria sem razão, mas queria que descobrissem sozinhos que estive no Brasil, terra onde ninguem me percebe e todos me tratam por moço, sinhor ou bróder, que nem quero saber o que é. Cheguei há umas horas a Santiago do Chile.

Mas voltando aos meus tristes dias, aqueles que, juntos, formam a minha triste existência. Tenho estado de papo para o ar, ou para a areia, ou dentro de agua, ou cheio de cerveja e camarão a maior parte das férias. Nada de que me orgulhe e que um dia possa contar aos meus filhos marroquinos. Além disso, grande parte do tempo, tive de suportar a companhia de uma amiga, chatinha que ate dói... e pouco inteligente, coitada. Tem uma ou duas virtudes, é verdade, mas não vou agora gastar espaço virtual com isso. Até porque elogios só se dão aos cães e aos artistas. Uns porque os merecem e aos outros para que nao se suicidem. A fotografia lá de cima é dela.
Passei em São Paulo e depois fui para Paraty, uma cidade turistica com péssimas estradas. Conta a história que foram construídas por escravos, gente que, por falta de ambição, anda sempre a pé e nao dá o mínimo valor a um bom tapete de piche.

Mas a viagem vai mudar. Daqui a nada vou apanhar um daqueles autocarros que só lembram ao diabo. Toda a noite sentado, até Copiapó. E tudo por um sonho, o meu. Se o sonho dos meus amigos é simples, é ter um GTI, nao importa de que marca ou de que cor, já o meu é mais complicado. Desde que me lembro sonho ter uma pessoa dentro do armário da cozinha para me ajudar nas tarefas culinárias. Parece fácil? Encontrar um indivíduo com perfil ideal para esse serviço tem-se revelado uma tarefa impossível. Descobri então que estao a leiloar 33 gajos, que talvez sirvam, a 850km daqui e vou até lá. Já me imagino dizer... Ó mineiro, passa aí duas porções médias de arroz agulha, ou Ó mineiro, faz-me um mix de especiarias para um guisado de frango e depois ordena os frascos por ordem alfabética e por continente, ou ainda, Ó mineiro, empurra a terceira gaveta que puxar gavetas aborrece-me,... Dias felizes. Espero amanha já estar a licitar. Se nao conseguir, alugo a mina e transformo aquilo na Feira Popular Julio Verne. Um sucesso garantido.


Esta a acabar a bateria desta coisa e tenho de sair. Depois escrevo mais e enfio umas fotos. Agora, para acalmar, oiçam Song for the Asking dos Simon and Garfield. É o que eu vou fazer.
Beijos